6 Min Leitura

Saiba quem inventou o ar-condicionado e como ele se tornou tão popular

Homem instalando o ar-condicionado.

Já agradeceu a quem inventou o ar-condicionado por proporcionar, nos ambientes internos, um clima agradável enquanto a temperatura externa está lá em cima? Esse aparelho tem mais de 100 anos de existência e é melhorado a cada temporada.

No texto abaixo, produzido pela Clima Rio, você vai conhecer um pouco mais sobre o inventor do ar-condicionado e viajar no tempo para saber como o equipamento ficou tão popular e continua sendo bastante requisitado no mundo todo.

A solução para aliviar o calor

Willis Carrier foi a mente por trás do ar-condicionado. Em 1902, aos 25 anos, ele era engenheiro da fábrica Buffalo Forge e teve a ideia do produto quando precisou solucionar problemas para uma cliente da empresa envolvendo a umidade de uma tipografia localizada no Brooklyn.

A Buffalo era especializada em aquecedores e outros elementos que trabalhavam com ar. Carrier, que foi quem inventou o ar-condicionado, melhorou também a qualidade de vida dos trabalhadores do local, que sofriam com as altas temperaturas.

O aparelho só foi para as residências, já em um modelo mais avançado, em 1940. Hoje, Carrier é exaltado em locais como Córdoba, Málaga e Sevilha, na Espanha, onde a temperatura ultrapassa os 40°C. O reconhecimento também já colocou o engenheiro na lista das pessoas mais influentes do século XX, segundo a revista Time.

Antes de Carrier

Quem inventou o ar-condicionado seguiu, na verdade, a linha histórica da climatização. No Egito antigo, usava-se o vapor da água de tapetes úmidos. Já em Roma e na China, a circulação de água doce por canos internos dava conta do processo.

Foi Michael Faraday, físico e químico, que incluiu um elemento diferente na equação: o amoníaco. A ação não era a mais segura, mas serviu para a evolução do conhecimento sobre o ar-condicionado antes e depois de Carrier.

O engenheiro testou a ideia de Faraday, mas substituiu o amoníaco por elementos que não fossem tóxicos para a respiração, como misturas de hidrofluorcarbonetos. Elas constituem os gases refrigerantes, encontrados em variados modelos de ar-condicionado do mercado. Esses elementos são capazes de absorver o calor para realizar a mudança de clima.

Popularidade entre empresas

A invenção do ar-condicionado foi tão importante que o criador, em 1915, fundou uma empresa com o próprio sobrenome: Carrier Engineering Corporation, hoje conhecida como a multinacional Carrier Global Corporation.

A Carrier fez negócios com o mundo todo. De Detroit, para as lojas de departamento J. L Hudson, até o Japão, para a Samsung. Mas a popularização do ar-condicionado se deu efetivamente a partir do incentivo das empresas de cinema.

Em 1921, instaurou-se uma estratégia de levar as pessoas para as salas de cinema durante a temporada de verão. O Tivoli, em Nova York, e o Los Angeles Theatre fizeram os espaços lotarem somente para o público sentir o geladinho do ar-condicionado enquanto assistia a algum filme em exibição.

Homem instalando a unidade condensadora.

O impacto depois da guerra

Um dos poucos momentos em que o aparelho não esteve em alta foi a Segunda Guerra Mundial, evento que afetou a venda de diversos produtos. Quando ela começou, em 1939, o ar-condicionado estava presente nos automóveis, na Câmara dos Deputados dos Estados Unidos e no Senado Americano.

O fim da guerra estabilizou as vendas, fazendo com que o item voltasse a estar mais presente nas casas de diversas famílias americanas. O retorno da comercialização chegou até mesmo a impactar a construção de novos empreendimentos.

Em hóteis, por exemplo, as construções passaram a ser feitas considerando a instalação do ar-condicionado. As janelas deveriam ser pequenas e as acomodações tinham de ter pé-direito baixo: tudo para que o aparelho pudesse funcionar de maneira adequada.

O ar-condicionado na atualidade

Quem inventou o ar-condicionado não contava com o avanço do aquecimento global como um propulsor de vendas. Esse problema impacta o ser humano de diversas maneiras, o que faz do equipamento o maior aliado para suportar as altas temperaturas. No Brasil, há uma alta procura por climatizadores em todas as regiões.

Segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Produtos Eletroeletrônicos (Eletros), de janeiro a junho de 2023, as vendas do modelo split cresceram 16% em comparação com esse mesmo período no ano passado. O órgão aponta para o fenômeno climático do El Niño como impulsionador do aumento dessa taxa.

Modernidade e tecnologia no ar-condicionado

Se o ar-condicionado antigo demorou dezenas de anos para virar item doméstico, hoje já é possível encontrar uma variedade enorme de modelos para casas, empresas, escritórios e comércios pequenos ou grandes.

Apesar de muitas versões do equipamento consumirem muita energia e afetarem o meio ambiente, já estão sendo fabricadas opções econômicas visando, principalmente, reduzir o impacto à natureza.

O modelo Hi Wall Inverter, disponível na Clima Rio, tem uma tecnologia que ajusta a velocidade de acordo com a necessidade de resfriamento ou aquecimento. Isso resulta em otimização do funcionamento e economia de energia, ajudando a equilibrar as contas do mês.

Onde comprar o ar-condicionado hoje?

Depois de conhecer a história de quem inventou o ar-condicionado e a popularidade do aparelho, que tal vivenciar de perto o efeito de um ar geladinho com um modelo de qualidade? Escolha o seu na Clima Rio!

A empresa está há mais de 20 anos no mercado de refrigeração e climatização, trabalhando na venda de condicionadores de ar, ventiladores, eletrodomésticos e diversos outros produtos. Confira as ofertas e renove os ares do seu cômodo com a Clima Rio!